Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro


Pages Navigation Menu

Nossas Danças

Dança do Kaapiwaya, na foto praticada por índios Tuyuka

A dança é uma das mais fortes expressões da nossa cultura.  Elas aparecem em cerimônias tradicionais importantes, como as festas de iniciação, e em eventos mais comuns, como nas festas de comemorações ao dia dos professores ou dia das mães, por exemplo. Também dançamos durante os dabucuris, que são festas onde um grupo oferece a outro grande quantidade de frutas, peixe, ou caça. E para deixar as festas animadas, a grande maioria dos nossos povos consome caxiri (bebida fermentada), ipadú e tabaco.  Nas vésperas das festas, fazemos pinturas corporais com jenipapo e carajuru.

Mulheres se pintam com carajuru como parte dos preparativos para uma festa. Comunidade de São Pedro, alto rio TIquié.

Nesse universo de 23 culturas, temos muitas semelhanças de danças entre nós, porém cada grupo possui sua versão. Por exemplo, na região do rio Uaupés praticamente todos os grupos dançam cariço, kapiwaya e japurutu. Mas cada grupo tem seus próprios cantos e danças,  melodias e histórias. Há danças que são muito específicas de cada povo. Por exemplo, as danças dos índios Yanomami. Após consumir o paricá, eles incorporam seres da floresta e dançam imitando os sons e a forma de locomoção de animais, como onça, macaco etc.

Abaixo veja a descrição de algumas das nossas danças:

Dança de Japurutu

Dança de Japurutu, na foto dançada por índios Baniwa

O dança de Japurutu é praticada por dois casais, onde os homens tocam uma longa flauta feita de paxiúba, que é justamente a flauta de Japurutu.  As mulheres acompanham os tocadores de mãos dadas levantadas ou de braços dados. Tradicionalmente a dança se desenvolve na área de danças das malocas, marcadas pelos esteios principais.

Dança de Cariço

Índios Desana, dançando o Cariço

O cariço (flauta-pã) é uma das danças mais praticadas na região. Os homens tocam as flautas de cariço e as mulheres os acompanham. O número de casais corresponde ao número de flautas disponíveis para a dança.  No começo, os homens introduzem a música entre eles mesmos num canto específico da maloca. Minutos depois, eles se dirigem ao centro tocando em círculos e em fila indiana. É nesse momento que as damas se aproximam para escolherem seus pares e dançarem juntos, com passos acelerados usando os principais esteios das malocas como marcação. As fortes batidas com os pés que os casais fazem  também ajudam a marcar o ritmo da dança. Cada dança de cariço dura em torno de 5 minutos.

Dança da cabeça do veado

Dança feita com os sons emitidos de instrumento de sopro feito com a crânio de veado. É uma dança masculina, onde o tocador do instrumento fica à frente dos dançarinos que se encontram em fila indiana com as mãos nos ombros dos companheiros. O tocador faz o som e os dançarinos o acompanham com passos longos e sincronizados. A cada três tempos de sopro, os dançarinos dão pulos para trás. Essa dança tem carácter lúdico, pois geralmente o tocador, à frente do grupo, procura alguém na plateia para chegar bem perto no intuito de mexer com essa pessoa. Todos que assistem a dança riem da performance do grupo.

Dança de Jabuti

É dançada com duas pessoas (geralmente jovens rapazes) tocando uma flauta de cariço e um instrumento feito com o casco de jabuti. Os dois dançam um de frente para o outro ou ao lado, em passos rápidos e curtos, imitando o andar de jabuti.

Kaapiwaya

É um estilo de dança praticados nas cerimônias tradicionais. Os tipos de kapiwaya são muitos, podendo ser: dança do macará, dança de japu, dança de camarão, dança de bastão de ritmo, dentre outras.

As cerimônias mais importantes comemoram a trajetória ancestral das nossas origens, e contam com danças praticadas por homens adultos dançando o kapiwaya. As cerimônias são guiadas pelo bayá (o mestre de cerimônia) que puxa os versos e ritmo da música e dança. Minutos após a dança ter se iniciado, as damas se aproximam dos dançarinos para entrelaçar seus braços e dançarem juntos. Nas cerimônias mais tradicionais os homens adultos usam imponentes adornos de plumas. Veja abaixo a descrição desses adornos, segundo os Tuyuka (clique na foto para visualizá-la): adornos

These icons link to social bookmarking sites where readers can share and discover new web pages.
  • email
  • Facebook
  • LinkedIn
  • Print
  • Twitter